Tito 1:9 - Apegado à palavra fiel, a qual é segundo o ensinamento dos apóstolos, de modo que tenha poder tanto para exortar pelo ensinamento saudável como para convencer os que se opõem. (RV)

Siga para a seguinte seção neste artigo:

Será que a Verdade Mudou ou Foram Alguns
dos Presbíteros da Região Metropolitana de Toronto que Mudaram?

Parte 2

Devemos ouvir as igrejas ou voltar-nos à nossa própria observação pessoal da situação? Se pusermos de lado a manifestação de tantas igrejas e formos investigar a situação nós mesmos, isso constituirá uma ofensa para o Corpo. Será que respeitamos o Corpo ou a nós mesmos? ( The Problems Causing the Turmoils in the Church Life, p. 32, do falar de Witness Lee em uma reunião com os presbíteros das igrejas no Canadá em 14 de agosto de 1993)

Abordar a Recusa da Igreja em Honrar Sua Quarentena

Alguns dos presbíteros e dirigentes da igreja em Toronto acusaram falsamente os cooperadores de fazer pressão sobre a igreja com relação a levar adiante a quarentena de Titus Chu. Eles desafiaram a autoridade dos cooperadores ao divulgar aquela advertência. Se voltarmos o relógio a 1992 veremos que, ao convocar todas as igrejas no Canadá para honrar sua quarentena imposta ao irmão X, os irmãos da região metropolitana de Toronto foram bem mais assertivos dos que os cooperadores entremesclados quando colocaram Titus Chu e alguns de seus cooperadores em quarentena. Os irmãos da região metropolitana de Toronto escreveram muitas cartas sobre esse assunto quando a igreja em Vancouver se recusou a prosseguir com a quarentena imposta pelos irmãos da região metropolitana de Toronto quanto ao irmão X.

Em 13 de agosto de 1992 os irmãos responsáveis em Vancouver responderam à carta de Toronto recomendando quarentena, afirmando que eles tinham "... recebido de fontes diferentes a outra versão da situação." Eles declararam também que, até que pudessem ter um quadro mais claro, não poderiam e nem dariam atenção à solicitação dos irmãos da região metropolitana de Toronto. A essência de sua recusa em atender à solicitação dos irmãos da região metropolitana de Toronto era a divergência quanto ao fato de que um irmão em quarentena numa localidade não tem, necessariamente, de estar em quarentena em todas as localidades. Sua resposta fez com que os irmãos na região metropolitana de Toronto respondessem aos irmãos em Vancouver numa carta de quatro páginas em 4 de setembro de 1992 Nessa carta, eles recapitularam seu momento de comunhão com um líder dissidente de Vancouver. Expressaram sua decepção no sentido que as questões levantadas não foram totalmente abordadas e explicadas, tendo expressado em vão suas preocupações e esclarecido sua posição. Os irmãos da região metropolitana de Toronto lembraram aos irmãos de Vancouver que:

Em Romanos capítulo 14, Paulo exortou-nos a acolher aqueles irmãos que diferem de nós na prática e na doutrina, mas, no mesmo livro, ele também insta conosco para que nos afastemos dos que promovem divisões. Irmãos, enquanto nos esforçamos por praticar o acolhimento de irmãos, não devemos também praticar a palavra de Paulo aqui no capítulo 16? O objetivo das duas incumbências é preservar a unidade do Corpo de Cristo.

Eles citaram a posição dos irmãos em Vancouver: "Enquanto um irmão não tiver causado problemas (divisão) aqui em Vancouver, todos nós vamos acolhê-lo (não importa qual seja o problema que ele tenha causado em outras igrejas locais)." Os irmãos da região metropolitana de Toronto responderam assim:

Se nosso entendimento estiver correto, sua diretriz está integralmente diferente da prática estabelecida pelas igrejas locais.

Perto do final dessa carta, os irmãos da região metropolitana de Toronto criticaram os irmãos de Vancouver por continuar a acolher e receber esse irmão divisivo "a despeito dos danos que ele acarretou nas outras igrejas." Eles então perguntam:

Irmãos, qual é o seu ponto de vista sobre o Corpo de Cristo? Uma vez que somos um corpo só, se algo é prejudicial às outras localidades, não será para vocês também? Irmãos, qual é sua posição com relação à unidade do Corpo de Cristo?

Se essas perguntas fossem feitas aos presbíteros dissidentes em Toronto hoje, qual seria sua resposta? Ao rejeitar a quarentena de Titus Chu e de alguns de seus cooperadores, eles estão rejeitando os testemunhos dos presbíteros e cooperadores da Coréia, Taiwan, China, Singapura, Malásia, Gana e dos Estados Unidos. Será que eles podem afirmar que têm certo conhecimento de que esses relatos das igrejas e dos cooperadores por toda a terra são falsos? Em que base eles se colocam como autoridade acima dos testemunhos de tantas igrejas e da advertência dos cooperadores? Será que a verdade mudou ou foram eles que mudaram?

Apelar para o Ministério do Irmão Nee

Em 14 de dezembro de 1992 os irmãos da região metropolitana de Toronto enviaram uma carta de cinco páginas aos presbíteros nas igrejas no Canadá, que consistia de extratos do ministério de Watchman Nee classificados por tópicos. Segundo os irmãos da região metropolitana de Toronto, "Esses escritos esclarecem a posição da restauração do Senhor e a prática das igrejas locais nesses muitos anos." Eles enfatizaram, com base no ministério do irmão Nee, que nenhuma igreja deve agir independentemente das outras ao decidir se acolhe um irmão e que um irmão disciplinado numa localidade deve ser considerado sob disciplina em todas as igrejas. Eles então expuseram o tema com base em Romanos 16:17 e Tito 3:10 a respeito de afastar-se daquele que causa divisões e rejeitar uma pessoa facciosa. Eles concluíram declarando que com respeito à decisão de colocar o irmão divisivo em quarentena:

É com base em sua compreensão [do irmão Nee] das Escrituras e da prática estabelecida na restauração do Senhor desde a época dele, que nós escrevemos informando-os de nossa decisão de disciplinar certo irmão e solicitando que esse irmão não seja acolhido à comunhão das igrejas locais que vocês supervisionam.

"Ofendidos Fortemente" por Qualquer Igreja que Não Coopere com a Quarentena Deles

Em 18 de dezembro de 1992 os irmãos da região metropolitana de Toronto enviaram uma carta de onze páginas aos irmãos em Vancouver na qual estavam listados sete pontos, dizendo que os irmãos líderes de Vancouver tinham "ofendido fortemente as igrejas na região metropolitana de Toronto."

Os irmãos da região metropolitana de Toronto lembraram os irmãos em Vancouver da

... comunhão muito clara do irmão Watchman Nee acerca da questão de lidar com divisões numa igreja local e a maneira pela qual outras igrejas locais devem cooperar com tal decisão no princípio de "Somente Um Corpo."

Eles também lembraram os irmãos de Vancouver que não deve haver qualquer contenda nas igrejas (1Co 11:16), mas que "...o que uma igreja faz [ao disciplinar um irmão], todas as igrejas devem fazer..." Hoje, muitos dos presbíteros de Toronto e outros fizeram sua própria escolha e tiveram sentimento de rejeitar a decisão de pôr Titus Chu em quarentena. Eles rejeitaram "o princípio de 'Um Corpo'", conceito que eles anteriormente tinham acolhido e agora não mais propunham que "o que uma igreja faz, todas as outras também devem fazer."

O parágrafo seguinte na carta contém uma citação muito esclarecedora, principalmente se vista à luz da situação atual. Os irmãos da região metropolitana de Toronto disseram que tanto o irmão Nee como Lee tinham exposto Romanos 16:17-20 e Tito 3:9-11 claramente. Eles afirmaram que os irmãos de Vancouver tinham, evidentemente, uma interpretação diferente, tanto do irmão Nee como do irmão Lee. No tocante ao ensinamento tanto do irmão Nee como do irmão Lee, os irmãos da região metropolitana de Toronto disseram: "Seu ensinamento prático preserva a saúde e a unidade do Corpo de Cristo. Por que vocês se recusam a aceitar sua comunhão acerca desses escritos?" A mesma pergunta pode ser feita hoje aos irmãos que rejeitam a quarentena de Titus Chu. O que mudou para fazer com que os irmãos de Toronto abandonassem seu encargo anterior para manter e preservar a saúde e a unidade do Corpo de Cristo?

No parágrafo seguinte, os irmãos da região metropolitana de Toronto afirmaram que os irmãos líderes em Vancouver estavam "tomando uma direção diferente" e "se desviando do caminho" porque se recusaram a seguir Toronto na questão de pôr o irmão X e o irmão Joseph Fung em quarentena. O que os irmãos da região metropolitana de Toronto estão fazendo ao rejeitar a quarentena de Titus Chu e de alguns de seus cooperadores é exatamente igual em princípio ao que eles veementemente acusaram os irmãos em Vancouver de fazer. Usando suas próprias palavras, esses presbíteros dissidentes estão "tomando uma direção diferente" e "se desviando do caminho", isto é, eles estão se afastando da prática na restauração do Senhor que foi edificada mediante os ministérios dos irmãos Nee e Lee, uma prática que eles defenderam catorze anos atrás.

Os irmãos da região metropolitana de Toronto concluíram esse trecho de sua carta com o seguinte:

Francamente, vocês três, irmãos [em Vancouver], ofenderam seriamente o Corpo! Pelo seu hábito de acolher irmãos que estão sendo disciplinados pelo Corpo, isto é, o irmão X e o irmão Joseph Fung, vocês estão ofendendo as igrejas locais e, portanto, prejudicando a unidade do Corpo de Cristo.

Como gostaríamos que os irmãos na região metropolitana de Toronto atentassem para essas palavras hoje!

Perto do fim da carta, os irmãos de região metropolitana de Toronto dizem aos irmãos de Vancouver:

Vocês, irmãos, acreditaram nos "poucos" irmãos dissidentes sem confirmar os fatos com os presbíteros aqui e então agiram precipitadamente com base em fatos não confirmados, solidarizando-se com eles...

O mesmo é verdade hoje quanto à decisão de alguns de rejeitar a quarentena de Titus Chu e de alguns de seus cooperadores. Os irmãos dissidentes não fizeram qualquer tentativa de confirmar os fatos que foram apresentados na reunião em Whistler, na qual os cooperadores apresentaram a carta de advertência. Como então eles poderiam estar certos de que deveriam rejeitar aquela advertência?

Em sua conclusão da carta, os irmãos na região metropolitana de Toronto novamente abordaram o tópico de manter a unidade prática no Corpo do Senhor:

Entretanto, quando se chega à unidade prática do Corpo do Senhor, é para nós uma irresponsabilidade ignorar Romanos 16. Testificamos que, devido à visão do Único Corpo, com a qual o Senhor Jesus nos guiou para fora das denominações, irmanismos e grupos livres! Tolerar agora as coisas que experimentamos em Babilônia anularia nossa preciosa visão e nossa experiência gloriosa nesses muitos anos.

Parece que muitos desses irmãos não valorizam mais essa visão hoje. Quando escreveram essa carta, sua visão era da unidade prática do Corpo de Cristo, e naquela época eles recusaram tolerar qualquer coisa que anulasse essa visão. A visão não mudou; eles sim.

Com o Pretexto de Prejudicar a Unidade do Corpo

Numa carta datada de 25 de janeiro de 1993 1 , os irmãos da região metropolitana de Toronto escreveram novamente aos líderes em Vancouver. A carta ainda era outra tentativa de persuadir os líderes em Vancouver a desfazer sua ofensa. Outra vez, os irmãos na região metropolitana de Toronto perguntaram aos irmãos em Vancouver quais eram os seus pontos de vista sobre a verdade e o único Corpo:

Enquanto vocês enfatizam que os santos devem seguir os ensinamentos de Watchman Nee, parece que vocês ignoram um dos compromissos decisivos de seu ministério: a unidade do Corpo de Cristo. Vocês deram aos santos sob seu cuidado o sentimento de que são um com as igrejas na restauração do Senhor, mas ao mesmo tempo, parece que ignoraram o fato de que alguns irmãos são divisivos. Suas atividades estão prejudicando a unidade do Corpo. Amados irmãos, segundo nossa observação, seu acolhimento aos irmãos está conforme sua própria escolha e preferência, e não sustenta os princípios do único Corpo.

Próximo do fim da mesma carta, os irmãos das igrejas da região metropolitana de Toronto deram seus próprios testemunhos com relação ao acolhimento de todos os irmãos na restauração do Senhor:

Nós nas igrejas na região metropolitana de Toronto estamos felizes por termos recebido ajuda e por ainda estarmos sendo supridos pelos irmãos na restauração do Senhor fora de nossas cidades, e por permanecermos abertos a eles. É assim que estamos em comunhão com todas as outras igrejas na restauração do Senhor.

Hoje, alguns dos irmãos líderes na igreja em Toronto parecem estar cortando a si mesmos da comunhão de todas as igrejas. Isso certamente será uma grande perda para a igreja sob o cuidado deles.

Conclusão

No período de 1992 a 1993, os irmãos das igrejas na região metropolitana de Toronto estavam muito firmes em sua expectativa de que todas as outras igrejas na restauração do Senhor os seguiriam em sua quarentena ao irmão X. Eles demonstraram sua compreensão do requisito em Romanos 16:17 e Tito 3:10 para lidar com pessoas divisivas e facciosas. Eles apelaram para o ministério do irmão Nee para mostrar que a disciplina exercida por uma igreja local deve ser respeitada e aplicada por todas as igrejas locais. Eles afirmaram que ao recusar honrar a quarentena exercida pelas igrejas da área da região metropolitana de Toronto, os líderes em Vancouver tinham "ofendido seriamente as igrejas da região metropolitana de Toronto" e não estavam apoiando o princípio do único Corpo.

Hoje, alguns dos presbíteros em Toronto afirmam que aqueles que estão apoiando a quarentena de Titus Chu estão de alguma forma interferindo na "administração local" da igreja naquela localidade. Tal posição sectária não pode ser conciliada com sua vigorosa repreensão à igreja em Vancouver e sua correspondência subseqüente com todas as igrejas no Canadá. Esse caso envolveu prejuízo em menor escala ao Corpo do Senhor do que o que está acontecendo hoje por intermédio das atividades divisivas de certos irmãos.

Voltar à Parte 1

Cartas Mencionadas neste Artigo


Notas:

1Essa carta está datada de 25 de janeiro de 1992, mas no parágrafo inicial, os autores dizem que estão respondendo à carta dos irmãos em Vancouver de 9 de janeiro de 1993; um erro óbvio cometido ao datar a carta. Ela deve ter sido datada em 25 de janeiro de 1993.

© 2006-2018 DCP. Todos os direitos reservados.
O DCP é um projeto que visa defender e confirmar o ministério neotestamentário de Watchman Nee e Witness Lee, e a prática das igrejas locais.
email